Foto 1 (19)

História – Primeiros Atos

Tupinamba  As primeiras manifestações de musica no solo nacional obviamente foram de canto e dança, através dos índios que usavam de seus instrumentos rústicos, da voz e de movimentos corporais para evocar espíritos, entrarem em contatos com os deus, e até mesmo em comemorações em cerimoniais indígenas.

Com a vinda dos Portugueses e outros espanhóis, os nativos de nosso chão, entraram em contato com a musica sacra, religiosa vinda da Europa, por meio dos padres jesuítas e franciscanos.

Logo seguida vieram os negros escravos, que também, tinham seus costumes danças e cantos espirituais, mas tinham principalmente uma musicalidade percurtiva muito forte que mais alem viria de influenciar muito nossa musica.

Sendo assim, nos primeiros três séculos  de colonização, o que existiam eram essas formas isoladas de musica: os cantos rituais dos índios, os batuques do negros, as musicas religiosas dos europeus, e ainda as fanfarras dos exércitos portugueses aqui aquartelados.

As primeiras manifestações de musica miscigenada pelas tendências de nossos colonizadores, com alguns poetas, como Gregório de Matos Guerra, que usavam da palavra cantada e violão de arame para seduzir as escravas mais apetitosas do côncavo baiano.

Temos logo em seguida o LUNDU que era uma dança dengosa, frenética, de todo o folclore nacional era a melhor forma de manifestação do tropicalismo dos mestiços, expressando a sensualidade da mulatas eróticas e ciosas. Mais tarde essa forma musical que emigrou da África, perdendo um pouco do requebro peculiar, passou a ser cantada ao som da viola e da guitarra evoluindo então Para as MODINHAS que tanto caracterizara o século seguinte em Portugal – XVIII.

aaaaaaaaaa

Nesse próximo século, O padre Mulato Domingos Caldas Barbosa tocador de viola e poeta se consagra como musico de Lundu e modinhas, nasceu Muito provavelmente no Rio de Janeiro, em 1738 , filho de um comerciante português com uma negra angolana.

Estudo em colégio de jesuítas e foi recrutado pelo exercito como castigo de a suas cantigas satíricas aos portugueses, logo após volta ao Rio de Janeiro em 1775 chega a portugal e se torna Capelão da casa de suplicação por influencia de seus protetores irmãos do vice rei do brasil.

Caldas Barboza é considerado por todos em Lisboa pela fixação do genro modinha, em 1775 o compositor passa a fazer sucesso na corte portuguesa com suas canções satíricas e malicosas dirigidas as mulheres, o que o tornaou disputado pelos nobres portugueses.

Curiosamente vestido de batina em apresentações passa usar pseudônimo de Lereno Celuntino , funda uma Arcádia de Poetas de Lisboa, que usa para publicar sua coleção de poemas, lundus e modinhas ( Violão de Lereno – vol1, 1798 e vol2, 1826). Faleceu aos 60 anos em Lisboa -Portugal.

Nesse próximo século, O padre Mulato Domingos Caldas Barbosa tocador de viola e poeta se consagra como musico de Lundu e modinhas, nasceu Muito provavelmente no Rio de Janeiro, em 1738 , filho de um comerciante português com uma negra angolana.

Estudo em colégio de jesuítas e foi recrutado pelo exercito como castigo de a suas cantigas satíricas aos portugueses, logo após volta ao Rio de Janeiro em 1775 chega a portugal e se torna Capelão da casa de suplicação por influencia de seus protetores irmãos do vice rei do brasil.

Caldas Barboza é considerado por todos em Lisboa pela fixação do genro modinha, em 1775 o compositor passa a fazer sucesso na corte portuguesa com suas canções satíricas e malicosas dirigidas as mulheres, o que o tornaou disputado pelos nobres portugueses.

Curiosamente vestido de batina em apresentações passa usar pseudônimo de Lereno Celuntino , funda uma Arcádia de Poetas de Lisboa, que usa para publicar sua coleção de poemas, lundus e modinhas ( Violão de Lereno – vol1, 1798 e vol2, 1826). Faleceu aos 60 anos em Lisboa -Portugal.

Bruno Nascimento
Bacharelado em Música Popular pela UFRGS e técnico em trompete pelas Faculdades EST atua como professor de música e instrumentista em Porto Alegre e região metropolitana.
CompartilheShare on FacebookShare on Google+Email this to someonePrint this page