Escolhendo o meu primeiro teclado/piano digital
Projeto Cultura Online! Pesquisa e Educação Musical

Talvez você já tenha o seu primeiro instrumento; talvez nem seja mais o seu primeiro! Seja para adquirir um teclado pela primeira vez ou fazer aquele upgrade, sempre surge as dúvidas: que modelo devo comprar? Quais recursos são interessantes? O que é imprescindível num teclado e o que é opcional? Afinal, são tantas opções por aí no mercado! 

Foi pensando nisso que elaborei para você uma lista com 5 dicas para te ajudar na hora de comprar um instrumento!

Piano digital ou teclado?

Essa é uma pergunta comum… O que escolher? Pessoalmente, indico para meus alunos que respondam algumas perguntas para responder essa dúvida inicial.

A) Quanto você quer/pode investir? A pergunta vem porque, em geral, o preço de pianos digitais básicos é maior do que de modelos de teclado de entrada.

B) Que repertório você quer tocar? Em geral, o repertório de piano pode ser tocado no teclado, e vice-versa. Mas são instrumentos diferentes, e especialmente o repertório de piano do séc. XIX (e aqui temos nomes como Beethoven, Chopin, Liszt e outros grandes compositores que exploraram muito o piano em suas obras) demanda a extensão de 88 teclas que um piano, digital ou não, dispõe. A maioria dos teclados possui 61 teclas. Além disso, aspectos como o peso e tamanho da tecla podem mudar de um modelo para outro.

C) Qual é a experiência que você está buscando? Se quer chegar o mais perto possível da sensação de tocar em um piano acústico, com teclas com peso e mecânica similares, o piano digital é a melhor escolha. Se quer mais recursos tecnológicos, com maior número de timbres à disposição (além de muitas outras coisas que um teclado te possibilita), então possivelmente o teclado seria a melhor opção.

Novo ou usado?

Já comprei instrumentos novos, lacrados… E também já comprei instrumentos usados. Não tive problemas nem com os novos, nem com os usados que comprei. Mas é importantíssimo você conhecer a procedência do instrumento, quando comprar usado. Teste antes, converse com o vendedor, pesquise sua confiabilidade. Assistências técnicas de instrumentos são, em geral, bastante caras, e você pode arrumar um grande problema se comprar um instrumento usado que não está 100%.

Qual é a melhor marca?

Essa é uma pergunta EXTREMAMENTE pessoal! Eu tenho minhas preferências, e cada músico terá a sua. A melhor marca, no fim das contas, é aquela que te entrega um modelo de teclado/piano que atenda às suas necessidades. Defina o que você busca em um instrumento e assuma isso como prioridade: você quer um banco com 700 timbres regulares, ou prefere um banco de 10 timbres fantásticos? Você quer usar o seu instrumento para gravações? Você vai usar para tocar em público? Você usar mais o timbre de piano, ou gosta de experimentar outros sons (como metais, cordas e afins)? Você quer um teclado que tenha uma base de ritmos pré-prontos para você improvisar em cima? Você prefere investir em uma marca mais conhecida, ou não tem problemas em experimentar novos modelos e marcas que tem surgido no mercado?

Pesquise. MUITO!

Hoje em dia, não tem desculpa: em diversas plataformas, em vários idiomas diferentes, você vai encontrar textos e vídeos de avaliações de especialistas nas teclas sobre os modelos que você está pesquisando. Ouça com atenção; compare os timbres; analise quais são os recursos que são interessantes para você – e chegue na melhor relação custo-benefício para o que está querendo!

Não tenha medo de perguntar

Depois de ler, pesquisar, ouvir… Ainda está em dúvida? Sem problemas! Converse com o seu professor, com amigos que tocam há mais tempo, com músicos conhecidos seus. Pergunte as opiniões sinceras de cada um. Tenho certeza que eles terão muita alegria em compartilhar com você suas impressões sobre os instrumentos.

“Bons Estudos”

Letícia Arnold
× Dúvidas?